O que faz um correspondente jurídico?

Hoje eu quero compartilhar uma experiência com os novos advogados, bacharéis e estudantes de direito.

Eu iniciei minha carreira de advogada prestando serviços de correspondente jurídico. Me cadastrei no “Migalhas” e iniciei minha labuta.

Eu posso dizer que ser correspondente me deu muita experiência, principalmente para despachar com os juízes, já que eu não tinha muitos processos próprios para chegar a falar com o M.M., confesso que muitas vezes eu tremi (literalmente), mas como os casos não eram meus, o medo meio que some, rs.

Quando a gente é correspondente, muita coisa boa vem para somar! Mas afinal…

O que faz um correspondente jurídico?

Um correspondente jurídico pode atuar prestando diversos tipos de serviços, seja participando de audiências ou protocolando documentos. Além disso, o correspondente jurídico pode prestar serviços de assessoria jurídica, através de diligências, realizando cópias de processos, acompanhando julgamentos, entre outras atividades.

Para se tornar um correspondente jurídico, é preciso ser um advogado ou estudante de direito e possuir conhecimentos na área, entender as práticas forenses e os trâmites legais.

Além desse conhecimento, o profissional também precisa ser responsável, pontual, ético, respeitoso, de bom comportamento, educado, possuir uma boa oratória, boa dicção e manter a postura correta dentro do meio jurídico.

Para quem trabalhar como correspondente jurídico?

Normalmente, o correspondente jurídico tem como clientes os escritórios de advocacias, advogados autônomos ou empresas que precisam de apoio jurídico em um local distante de sede.

A contratação, além da utilização do networking, também é feita através de sites voltados para esse tipo de profissional, você pode começar se inscrevendo no Migalhas e no Jurídico Certo.

Embora estes correspondentes não possam advogar sem a aprovação do Exame da OAB, os estudantes e bacharéis em Direito podem auxiliar escritórios de advocacia e o setor jurídico de várias empresa em diversas atividades.

Para quem não é advogado em exercício, é possível retirar alvarás, fazer consultas processuais, elaborar peças sob a supervisão de um advogado inscrito na OAB, emitir guias e verificar o andamento de processos.

Além disso, advogados em início de carreira, que ainda não possuem muita experiência no meio jurídico, encontram nesta atividade uma boa maneira de adquirir conhecimento e gerar renda.

Ademais, a atividade de correspondente jurídico pode render inúmeras vantagens, qualificando o profissional para atuação nas mais diferentes áreas.

Como funcionam essas qualificações para o correspondente jurídico?

Uma das grandes vantagens para o correspondente jurídico é a possibilidade de trabalhar com diversas áreas do Direito. Dessa forma, ele pode expandir sua atuação, atendendo escritórios de todo o país e aumentando o seu público potencial, podendo conquistar futuros clientes.

O correspondente garante, dessa forma, maior qualificação, adquirindo conhecimento prático e conquistando um ganho potencial para sua carreira como advogado.

Outra grande vantagem é a ampliação de contatos profissionais, adquirindo um bom networking, que possibilita a abertura de portas e garante bons trabalhos. O networking, nos tempos atuais, é tão importante quanto a realização de bons trabalhos.

Entrando no mercado de trabalho e aumentando a renda como correspondente jurídico

Com bons contratos assinados, o correspondente pode conseguir uma boa renda fixa todos os meses. Possuindo tais clientes, a atuação garante uma remuneração extra somada aos ganhos de sua própria profissão.

Para o profissional de Direito em início de carreira, em busca de seus primeiros honorários, a área de correspondência jurídica é uma grande chance de se firmar na carreira, garantindo, além da renda, um vasto conhecimento.

Nesta atividade, o profissional não precisa ficar preso a horários, como num escritório.

O escritório que contrata correspondentes, por sua vez, tende a ganhar em agilidade, economia de honorários e torna o trabalho mais rápido e dinâmico, atendendo as suas necessidades e as do contratado.

Outro ponto importante para os escritórios é a economia, pois os gastos com locomoção entre sua sede e a comarca onde está tramitando o processo são eliminados. Além do mais, não precisam gastar com manutenção de uma sala exclusiva para o contratado, ganhando tempo útil dentro do escritório.

Logo, para o estudante de Direito que pretende seguir na carreira, para o bacharel, que ainda não foi aprovado no exame da OAB, e para o advogado recém-formado, que está procurando seus primeiros clientes, a atividade de correspondente jurídico se mostra extremamente promissora e uma ótima fonte alternativa de renda.

Como precificar os honorários como correspondente jurídico

Para você que não sabe como dar preço no seu serviço, eu vou indicar aqui um curso muito legal, ministrado pela Professora Fernanda. É o curso Correspondente Alta Performance.

Você pode ter acesso ao curso clicando aqui ou aqui. Aumente o faturamento do seu escritório sendo correspondente jurídico.

Espero que vocês gostem das minhas dicas.

Se precisarem de ajuda, quiserem minha opinião ou tiverem alguma dúvida sobre o tema, pode me contatar clicando aqui.

Facebook: https://www.facebook.com/EricaAvalloneAdvogada/

Site: http://ericaavallone.com.br/

Instagram: https://www.instagram.com/eavallonelima/

Compartilhe!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.