Entenda como o perfil do condutor pode influenciar nos processos da transportadora

Entenda como o perfil do condutor pode influenciar nos processos da transportadora

Os gestores mais antenados já perceberam que o perfil do condutor tem consequências diretas nos processos da transportadora. De fato, é preciso incorporar processos e rotinas que busquem certa padronização de competências e de posturas entre os profissionais do time, assegurando a eficiência das operações de escoamento.

LEIA MAIS:
Como realizar o transporte de bebidas? Entenda!
Divulgar blitz de trânsito é crime?
Quem trabalha em home office tem direito a horas extras?

Neste post, você entenderá um pouco mais sobre o assunto. Inicialmente, explicaremos o impacto do perfil do condutor nos protocolos padrões de uma transportadora. Em seguida, apresentaremos os perfis existentes e aprofundaremos as características mais recorrentes a cada um deles.

Por fim, apresentaremos, em linhas gerais, como cada tipo de postura pode impactar em questões bastante relevantes aos resultados da companhia — tais como produtividade, atenção aos processos e índices de entrega. Boa leitura e bons insights!

Como o perfil do condutor pode interferir nas operações da transportadora?

Parece equivocado dizer que a seleção de motoristas, designados para suprir as demandas de escoamento, pode impactar nos resultados do negócio. A conclusão, no entanto, é real e pertinente: para maximizar os resultados do transporte, é preciso permanecer atento ao perfil dos condutores.

Pense, por exemplo, na complexidade das situações no trânsito. Muitas vezes, calma e raciocínio rápido podem evitar riscos, preservando a integridade do motorista e da carga. Neste caso, perfis impetuosos e impulsivos podem não ser a escolha mais acertada.

Da mesma forma, excesso de confiança pode ser prejudicial ao trabalho. Quando o condutor demonstra exagero na firmeza de crenças, por exemplo, pode ser difícil eliminar manias nocivas às rotinas de trabalho.

Diante disso, fica fácil justificar a importância de monitorar o perfil da equipe e, ao identificá-lo, ajustar critérios e posturas de acordo com as necessidades da transportadora. E mais: a estratégia está longe de ser uma tática vazia. Na prática, uma atitude proativa em relação ao tema garante a contratação de bons profissionais e ajuda a manter a saúde financeira da empresa.

Quais são os perfis mais comuns (e como identificá-los)?

A 7ª edição da pesquisa realizada pela Abiclor (Associação Brasileira das Indústrias de Cloro-Álcalis) apontou que os motoristas de carga perigosa estavam mais conscientes em relação ao uso do celular ao volante. Para os gestores do segmento, o dado é interessante e ajuda a reforçar a importância de acompanhar o perfil do condutor e seus hábitos.

Na verdade, tudo começa antes mesmo da contratação. O Departamento de RH, ciente da lacuna de posições, precisa estabelecer critérios objetivos de medição e, ainda na fase de entrevistas, criar maneiras eficazes de entender o comportamento do candidato.

Para viabilizar as análises, é fundamental conhecer os perfis mais comuns para, então, fixar parâmetros e testes. Confira!

O condutor tranquilo

Neste perfil, o motorista apresenta comportamento mais calmo — oferecendo um excelente contraponto ao estresse do trânsito nas grandes cidades, por exemplo.

Condutores mais sossegados também são uma escolha pertinente se o trabalho envolver o transporte de passageiros; já que, muitas vezes, a boa gestão de conflitos pode ser uma habilidade bastante valorizada neste modelo.

Reconsidere a contratação de motoristas tranquilos se a rotina precisar de extrema agilidade na entrega. É bem comum que profissionais desse grupo comportamental encarem atrasos como ocorrências comuns.

O condutor confiante

É ótimo encontrar um profissional que está ciente e seguro de suas habilidades ao volante. É provável que o motorista tenha bom domínio das situações na estrada e consiga lidar com a pressão inerente às rotinas (e aos prazos) do transporte.

Por outro lado, no entanto, é preciso ficar atento à confiança excessiva. Quando o condutor é resistente a sugestões, mesmo que elas signifiquem a otimização de suas entregas, pode ser difícil inserir o indivíduo em programas estratégicos de desenvolvimento — de reciclagens a novas capacitações.

O condutor responsável

A responsabilidade é um critério essencial aos condutores. Todos os tipos de transporte — do passageiro à carga sensível — exigem que o profissional esteja plenamente consciente de seus atos e das eventuais consequências de suas escolhas ao volante.

O motorista responsável está sempre atento às melhores práticas e valoriza a segurança. A revisão dos veículos da frota, por exemplo, é um ponto de interesse na rotina dos responsáveis: eles monitoram o cronograma e seguem as recomendações à risca.

Vale lembrar, ainda, que esse perfil prioriza atributos técnicos na hora de dirigir, o que os torna bons alunos no caso da aplicação de treinamentos e capacitações.

O condutor impulsivo

Esse é, sem dúvida, o perfil mais difícil de lidar. Trata-se de um profissional mais passional, com mais chances de se envolver em conflitos no cotidiano do trânsito. Pode ser desgastante contratar (e manter) um condutor precipitado no quadro de colaboradores.

A tentativa de controlar a impulsividade do condutor é uma tarefa árdua e pode, no fim, não surtir os resultados esperados. Comportamentos geniosos não são recomendados no segmento de transportes e podem comprometer a imagem da empresa — além de colocar em risco a eficiência da entrega.

Quais são os impactos de cada perfil de condutor nos resultados da transportadora?

A essa altura, a importância de considerar o perfil de cada condutor — antes e depois da contratação — está evidente. Gestores focados em alta performance precisam considerar esses fatores na hora de selecionar os parceiros da frota.

Sabendo que o comportamento do profissional ao volante interfere positiva ou negativamente nos resultados da companhia, é pertinente que o líder redobre a atenção e assegure, assim, que as pessoas certas estejam nas posições mais adequadas.

Esse tipo de visão faz, de fato, toda diferença no curto, no médio e no longo prazo, viabilizando o crescimento sustentável e escalável do negócio. Colaboradores responsáveis, por exemplo, têm mais atenção aos processos e, com isso, ganham produtividade, melhorando os índices de entrega.

O perfil do condutor é, em última escala, uma variável relevante para manter a segurança da operação enquanto otimiza os recursos da transportadora. Vale a pena repensar os processos!

Via: BSoft

Se precisar de ajuda ou ainda tiver alguma dúvida sobre o tema, clique aqui ou pelo e-mail:  erica@avallonelima.com.br
Mentoria para advogados em Direito de Trânsito preencha o formulário clicando aqui

Site  | Facebook  | Instagram Linkedin  | Canal no Youtube  | Pinterest 

Conheça o meu Kit da Lei Seca clicando aqui e conheça uma nova área de atuação

Compartilhe!

Deixe uma resposta

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.